Dia 07 de fevereiro: Feliz Dia do Gráfico!

A impressão que dá é que, todo dia é Dia do Gráfico.

Se você viajar com a gente no túnel do tempo, com certeza vai perceber que não é à toa que existe uma data só para nós, pois foi exatamente no dia 07 de fevereiro, mais precisamente em 1923, que houve uma greve que marcou todo o nosso contexto histórico. 

Foi uma greve dos gráficos realizada em São Paulo e comandada por João da Costa Pimenta, para reivindicar melhores condições de trabalho e melhores salários, já que esta categoria estava em expansão naquela época. O impacto desta manifestação foi gigantesco! É tanto que, da greve, nasceu o Sindicato dos Gráficos, no qual o próprio João da Costa passou a ser o presidente.

E, só de pensar que, antes da prensa móvel, para fazer a cópia de um livro tinha que ser todo manuscrito por um escriba, nós nos sentimos imensamente realizados por poder desfrutar de toda a tecnologia de hoje.

Se antigamente, os livros eram manuscritos, logo demorava meses para finalizar um exemplar e sendo assim, encarecia tanto o trabalho que, só a elite e o clero tinham acesso à leitura. Então, imagina só, grande parte da população analfabeta, simplesmente por não ter o prazer de ter este precioso impresso em suas mãos. É até difícil de imaginar, não é mesmo?

Mas, com a chegada de uma grande invenção do alemão Johannes Gutenberg, todo este cenário mudou! Por volta de 1455, Gutenberg criou a prensa móvel de tipos metálicos com letras em alto relevo e tinta. Foi a partir disso e, claro, de uma técnica que fazia imprimir quase 300 páginas por dia, que acabou sendo o primeiro a imprimir a Bíblia Sagrada, inicialmente com 42 linhas. Ah, e olha só que interessante:

 

1. Os Tipos

A impressão já existia na China. Mas os tipos eram talhados em madeira e não possibilitavam fazer muita pressão para marcar bem o papel. A prensa de Gutenberg tinha placas de metal duro que serviam de molde para fundir quantos caracteres fossem precisos.

 

2. A composição

Os caracteres eram mantidos em páginas, uma forma com moldura de madeira, onde já haviam retas que garantiam o alinhamento.

 

3. A tinta

A tinta que existia, à base de água, não oferecia boa aderência na hora da prensagem. Gutenberg usou uma tinta à base de óleo de linhaça e negro-de-fumo, que marcava bem o papel e não borrava. Ela era aplicada aos tipos móveis após ser impregnada em uma trouxa de pano.

 

4. A impressão

A forma ficava sobre uma pedra de mármore. O papel era colocado sobre os caracteres e emoldurado por madeira. A prensa, abaixo, era movimentada com uma barra, que movia a rosca. Na outra ponta, um prato de platina pressionava a folha nos caracteres.

 

5. A prensa

O prato de platina era bem pequeno e, por conta disso, duas metades da mesma página eram impressas separadamente. A prensa descia duas vezes para imprimir cada página. Uma folha de feltro era colocada entre a página a ser impressa e a platina para melhorar o resultado.

 

6. O produto

O papel foi fundamental para a impressão dar certo. Antes dele, só o pergaminho e o velino proporcionavam boa absorção da tinta. Eles, porém, eram caros. O papel já vinha da China através da Arábia há 200 anos, mas foi só no século XV que seu uso se generalizou.

 

Agora, com o avanço da tecnologia, os trabalhos gráficos são realizados em três níveis diferentes: a pré-impressão, impressão e o acabamento através de dobraduras, recortes, colagens e grampeamentos. E, enquanto antes só era possível imprimir até 300 páginas, hoje, na gráfica online FuturaIM, imprimimos até 18.000 folhas por hora, graças a eficiência da moderna Koenig & Bauer Rapida 106-8 SW LED, a 1ª da América Latina!

Quanto tempo se passou, não é mesmo? E, quando nossos clientes veem o resultado final de um trabalho gráfico, talvez não tenham ideia de como surgiu tudo isso e, a tamanha importância na vida de todos que priorizam uma boa comunicação visual.

Existem diversos tipos de impressos personalizados, que vão desde cartões de visita, folhetos, banners, cartazes e adesivos, até livros, revistas, cardápios, convites de casamento, embalagens e muito mais.    

No ramo gráfico existem diversos profissionais responsáveis pelo resultado final de uma impressão, como o designer gráfico, arte-finalista, o responsável pela pré-impressão, o impressor, quem faz o acabamento e tantos outros que estão envolvidos neste trabalho extremamente significativo para todos nós.

É por isso que, queremos parabenizar a você e a todos nós que damos cor a cada sonho e um toque de brilho na carreira do profissional que se dedica para entregar materiais gráficos de qualidade.

Feliz Dia do Gráfico!

 

Fontes:

http://www.maxlabel.com.br/post/29025-a-historia-da-impressao

https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-nacional-grafico.htm

https://mundoeducacao.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-nacional-grafico.htm

Receba promoções e novidades!!
Para sua maior segurança, atualizamos Politicas de Privacidade e Termos de Uso do site. Ao continuar navegando nele, entendemos que você está ciente e de acordo com elas.
Li e aceito as Politicas de Privacidade.